22 de setembro de 2009

Vivendo como seguidores de Jesus! (Mc 9.30-37)


A busca pelo poder, status, honra, prestigio é uma constante na história da humanidade. Desde os tempos primórdios a máxima “Só os mais fortes vencem” parece ser seguida a risca.

O orgulho, o egoísmo e a busca pelo poder, pelo domínio, pela supremacia, fez com que muitas coisas ruins acontecessem ao longo da historia da humanidade. De alto poderíamos logo lembrar das duas guerras mundiais, onde a busca para ver qual país era o maior apenas causou a destruição, e muitas mortes de pessoas civis inocentes. O nazismo liderado por Adolf Hitler queria acabar com a “raça que eles consideravam mais fraca”, os judeus. Assim milhares de pessoas inocentes foram mortas.

Mas esta constante pelo poder não se resume a apenas dados de nossa história. Voltemos nossos olhos para a Bíblia. Logo no começo do livro de Gênesis, qual foi o motivo de Caim ter matado Abel? A raiva, o egoísmo – Caim não gostou que Deus se agradou da oferta de Abel, que ofereceu ao Senhor do melhor. No capítulo 11 de Gênesis temos a construção da Torre de Babel, em que o orgulho e a prepotência do povo queria fazer uma torre que chegasse ao céu, para mostrar que aquele povo era o maior, o mais importante.

Agora voltemos nossos olhos ao evangelho de Marcos 9. 30-37. O que acontece neste texto?

Bem! Ao analisarmos a primeira parte vemos Jesus falando aos seus discípulos de sua morte e ressurreição. Marcos nos relata que os discípulos não entendiam o que Jesus estava querendo dizer. Diríamos hoje que eles ficaram “meio que boiando”.

A intenção principal de Jesus era preparar os seus discípulos para o que iria acontecer, para que não fossem pegos de surpresa. Notem que interessante a ligação do texto. Jesus falando da maior humilhação que Ele iria passar em favor da humanidade, e os discípulos em seguida, agindo com orgulho, até com uma certa disputa entre si para ver quem era o melhor diante de Deus.

Eles estavam simplesmente discutindo para ver: “Quem é o maior do Reino de Deus”. Quem é o Mais importante, o MAIORAL...

E é por isso que quando eles chegam em casa Jesus logo pergunta: “O que vocês estavam discutindo?” – Minutos de silêncio – os discípulos não tinham coragem de falar nada. Mas Jesus sabia o que eles discutiram, então Jesus diz: Se alguém quer ser o primeiro, deve ficar em último lugar e servir a todos. (Mc 9. 35)

Que troca de valores hein? Pra ser o primeiro tem que ser o ultimo, servir ao invés de ser servido, dar ao invés de receber... É um choque isso, Jesus troca maior por menor, troca grande por pequeno, troca orgulho por humildade! Parece o caos... Como pode ser isso?

Aqui Jesus mostra que todo aquele que é seguidor de Jesus, não pode pensar de forma egoísta. Cristo traz uma mudança, uma nova transformação, uma nova realidade. Ele traz um modelo para aqueles que são seus seguidores, que são filhos de Deus.

Então, Jesus através deste ensino nos mostra que um filho de Deus acima de tudo é humilde. E humilde aqui é o oposto do orgulho, da soberba, da vaidade, da inveja, do querer ser mais que o outro. Ser seguidor de Jesus é ter a humildade de reconhecer que todos são iguais, todos cometem pecados. É uma atitude que conhece seus defeitos, seus erros e limitações.

Por isso, seguir a Jesus é também baixar a cabeça, é esvaziar-se, é inclinar-se diante de Deus. É reconhecer que tudo que temos, possuímos, vem de Deus.

É por graça, que Deus nos dá roupas, calçados, comida, bebida, casa lar e a nossa própria vida.

Que lição que os discípulos receberam não é mesmo? Que lição que nos é dada, hein?...

Sim! Nós não somos diferentes de Caim, temos inveja, orgulho. Nós não somos diferentes do povo que queria construir a torre de babel, nós queremos estar sempre por cima.

Como é fácil o ser humano se achar superior em diversas situações!

Nós não somos diferentes dos discípulos! Como cristãos corremos a grande tentação de começar a disputar entre nós pra ver quem é maior, mais importante. Por isso, é sempre muito importante lembrar que sem a ajuda de Deus, nada somos. E se Deus pode fazer coisas importantes através da nossa vida, louvado seja Deus.

Foi isso que João Batista entendeu muito bem e falou a respeito de Jesus: Ele deve ficar cada vez mais importante, e eu, menos importante (João 3. 30).

Infelizmente o orgulho, a ganância, a inveja, o egoísmo e a busca pelo poder estão enraizados em nossos corações. O pecado trouxe isso. O que podemos e devemos fazer é seguir o modelo que Cristo nos deu. É nos colocar diante de Deus em humildade, em arrependimento e confissão e suplicar “Senhor perdoa-me, dirige a minha vida, orienta os meus passos, dá-me a sabedoria de seguir o exemplo de Jesus, que é servir, ajudar, e amar o meu próximo”.

Certamente quando chegamos diante de Deus com sincero arrependimento, e a Ele suplicamos seu perdão, Ele nos concede. É Deus que irá ajudar a nós olhar e caminhar na direção contrária, mudar o modo de pensar, de ser, de fazer e de viver, sempre deixando o errado e buscando o certo. Isto nos é concedido pela nova vida que Cristo nos deu. Todos nós temos, basta praticarmos. E isto nos foi dado única e exclusivamente por causa de Jesus Cristo.

Busquemos em Jesus a força para amar, respeitar, valorizar todas as pessoas que Deus coloca no nosso caminho. Pois, “Ele morreu por todos para que os que vivem, não vivam mais para si mesmos, mas vivam para aquele que morreu e foi ressuscitado para a salvação deles.” 2Co 5.15

Vamos lembrar diariamente daquele que merece toda honra e louvor e agradeçamos por tudo que temos, pois tudo é dado e permitido por Deus. Assim poderemos viver cada dia na certeza da paz com Deus, e aguardar felizes e confiantes o dia em que Jesus nos chamar e dizer “venham e vivam eternamente ao meu lado”.

Prostremo-nos, pois, diante de Deus e agradeçamos por tudo que Jesus Cristo fez por cada um de nós.

Oração: Perdoa-me ó Pai, habita em mim, faze-me viver de acordo com a tua vontade. Que as outras pessoas vejam em mim o amor de Jesus. Guia os meus passos e conduze minha vida. Amém.

Marlus Seling. N.S. do Socorro, 2009





18 de setembro de 2009

Mistério na JELB!!! o que será que vem por aí....

O que vem por aí? Mistério?... Dúvidas.. o que??? Pasmem.. será algo.. algo... vocês vão ver!!!










acesse: fique por dentro

http://www.jelb.org.br/

Palestra Sobre Drogas!

Drogas: Vencendo Juntos! Este foi o tema da palestra proferida à um grupo de professoras do programa "Sergipe Alfabetizado", na noite desta sexta-feira 18 de Setembro de 2009
Na palestra foi abordado que as Drogas é um problema de todos, e somente todos juntos poderão vencer esta batalha, que causa destruição, violência e morte!
Estar ao lado do Dependente quimico, entender e compreender, são palavras chaves na recuperação. Familia, escola e igreja são os ambientes onde a prevenção deve acontecer e assim cooperar para a formação de uma pessoa!

Abaixo segue algumas fotos

TEMA




Introdução ao assunto!



Perguntas, respostas? Dúvidas e soluções!



Professoras ouvindo!!!



FIM


17 de setembro de 2009

Passeio a São Cristóvão!

Olá amigos quero compartilhar uma visita que fiz a São Cristóvão/SE.
Pra quem não sabe, São Cristóvão é um município brasileiro do estado de Sergipe, localizado na Região Metropolitana de Aracaju. Foi a primeira capital de Sergipe, até a transferência para Aracaju em 17 de março de 1855. E tem o título de quarta cidade mais antiga do Brasil.
Abaixo segue umas fotos que lá tirei...


14 de setembro de 2009

O tesouro!

Uma mulher pobre passeava com seu filhinho num bosque quando ouviu um voz que vinha de dentro de uma caverna:
- Aqui dentro há muito ouro, prata e pedras preciosas. Pegue o que quiser.
Meio desconfiada, olhou no interior da caverna e constatou que, de fato, ela estava recheada de tesouros insondáveis.
- Posso mesmo pegar o que quiser?
- Sim, mas, você poderá encher apenas uma sacola e terá apenas dois minutos para escolher o que quer levar. Depois deste tempo, saia correndo, pois a caverna se fechará para sempre com tudo que ainda estiver aqui dentro.
Premida pelo tempo e com tantas opções à sua frente, a mulher escolhia, juntava, trocava, destrocava, ajeitava os objetos na sacola, trocava novamente.
- Agora você tem apenas 10 segundos... 9, 8, 7...
Ela pegou mais umas pedras preciosas.
- 6, 5, 4...
Pegou mais uma bandeja de ouro e saiu correndo.
Já do lado de fora, ainda teve tempo de assistir a entrada da caverna se transformando num imenso paredão de rocha. Olhou a sacola, avaliou o que havia conseguido juntar e concluiu que agora era uma mulher rica e iria poder dar ao seu filho uma vida melhor...
- Meu Deus... meu filho! Meu filho, meu Deus, meu filho...
Na correria, esqueceu seu filho dentro da caverna. Para sempre!
Não deixe a correria da vida fazê-lo se esquecer das pessoas que você ama.
Não deixe que na correria de sua vida, você se esqueça de Deus, e do maior tesouro que você pode ter: A fé em Jesus.
É pela fé que nós receberemos o tesouro da salvação, a vida eterna!

11 de setembro de 2009

Jovens fortes como uma águia!

Que todo o meu ser te louve ó SENHOR! Esta frase dita e repetida pelo salmista no salmo 103, expressa bem o louvor a Deus e a gratidão do salmista, por tudo que de Deus recebeu. No v. 5 o salmista diz: “Ele enche a minha vida com muitas coisas boas, e assim eu continuo jovem e forte como uma águia”... Mas espera aí como uma águia? Por que águia? Por que o Salmista não diz jovem e forte como um leão? Não expressaria melhor este sentimento de gratidão?
O que na real, o salmista quer nos transmitir com esta frase?... Sua resposta nós nunca vamos saber, aliás, vamos, quando nos encontramos com ele no céu... Mas de momento, podemos tentar desvendar esta figura de linguagem que ele usa “Jovens fortes como uma águia”.
Pois bem, vamos lá... Ou melhor, fiquemos aqui...
A águia é a ave que possui maior longevidade entre os animais.
Chega a viver setenta anos. Mas para chegar a essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão. Aos quarenta ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas, em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!
Então a águia só tem duas alternativas: Morrer, ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar cento e cinquenta dias.
Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar. Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo.
Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas.
E, só asssim cinco meses depois é que sai o
formoso voo de renovação e para viver então mais trinta anos.
Esta aí o sentido de “jovens fortes como a águia”, e a palavra chave aí é renovação. Viver uma nova vida. Lutero na explicação do Sacramento do Santo batismo fala: “O velho homem, em nós, por arrependimento diário, deve ser afogado e morrer com todos os pecados e maus desejos, e, por sua vez, sair e ressurgir diariamente novo homem, que viva em justiça e pureza diante de Deus.”[1] .
Nós assim como a águia passamos por uma grande renovação. No batismo nós nos livramos do pecado e da morte, para ter a fé em Jesus Cristo e receber a salvação.
E, hoje como “Jovens fortes como uma águia” podemos agradecer, pois os dias de nossa vida podem passar. Os cabelos brancos um dia irão aparecer... Mas o amor de Deus e o seu cuidado por nós serão eternos. Ele sempre nos abençoará, em tudo que fizermos, provas de seu amor: É só lembrar de Jesus Cristo nosso salvador, e assim podemos dizer como o salmista “Que todo o meu ser te louve ó SENHOR”.

_______________________________
[1] LUTERO, Martinho. Explicação do Sacramento do Santo Batismo, in Catecismo Menor, p. 14

10 de setembro de 2009

ÚLTIMO FOLHETO!!!

Todos os domingos à tarde, depois do culto da manhã na igreja, o
pastor e seu filho de 11 anos saíam pela cidade e entregavam folhetos evangelísticos.

Numa tarde de domingo, quando chegou à hora do pastor e seu filho
saírem pelas ruas com os folhetos, fazia muito frio lá fora e também
chovia muito. O menino se agasalhou e disse:

-'Ok, papai, estou pronto. '

E seu pai perguntou:

-'Pronto para quê?':

-'Pai, está na hora de juntarmos os nossos folhetos e sairmos. '

Seu pai respondeu:


-'Filho, está muito frio lá fora e também está chovendo muito. '

O menino olhou para o pai surpreso e perguntou:

-'Mas, pai, as pessoas não vão para o inferno até mesmo em dias de chuva?'

Seu pai respondeu:

-'Filho, eu não vou sair nesse frio. '

Triste, o menino perguntou:

-'Pai, eu posso ir? Por favor!'

Seu pai hesitou por um momento e depois disse:

-'Filho, você pode ir. Aqui estão os folhetos. Tome cuidado, filho. '

-'Obrigado, pai!'

Então ele saiu no meio daquela chuva. Este menino de onze anos
caminhou pelas ruas da cidade de porta em porta entregando folhetos evangelísticos a todos que via.

Depois de caminhar por duas horas na chuva, ele estava todo molhado, mas faltava o último folheto. Ele parou na esquina e procurou por alguém para entregar o folheto, mas as ruas estavam totalmente desertas. Então ele se virou em direção à primeira casa que viu e caminhou pela calçada até a porta e tocou a campainha. Ele tocou a campainha, mas ninguém respondeu. Ele tocou de novo, mais uma vez, mas ninguém abriu a porta. Ele esperou, mas não houve resposta.

Finalmente, este soldadinho de onze anos se virou para ir embora, mas algo o deteve. Mais uma vez, ele se virou para a porta, tocou a
campainha e bateu na porta bem forte. Ele esperou, alguma coisa o
fazia ficar ali na varanda. Ele tocou de novo e desta vez a porta se
abriu bem devagar. De pé na porta estava uma senhora idosa com um olhar muito triste. Ela perguntou gentilmente:

-'O que eu posso fazer por você, meu filho?'

Com olhos radiantes e um sorriso que iluminou o mundo dela, este
pequeno menino disse:

-'Senhora, me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS A AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto que lhe dirá tudo sobre JESUS e seu grande AMOR. '

Então ele entregou o seu último folheto e se virou para ir embora.
Ela o chamou e disse:

-'Obrigada, meu filho!!! E que Deus te abençoe!!!'

Bem, na manhã do seguinte domingo na igreja, o Papai Pastor estava no púlpito. Quando o culto começou ele perguntou:

- 'Alguém tem um testemunho ou algo a dizer?'

Lentamente, na última fila da igreja, uma senhora idosa se pôs de pé.
Conforme ela começou a falar, um olhar glorioso transparecia em seu rosto.

- 'Ninguém me conhece nesta igreja. Eu nunca estive aqui. Vocês sabem antes do domingo passado eu não era cristã. Meu marido faleceu a algum tempo deixando-me totalmente sozinha neste mundo. No domingo passado, sendo um dia particularmente frio e chuvoso, eu tinha decidido no meu coração que eu chegaria ao fim da linha, eu não tinha mais esperança ou vontade de viver.

Então eu peguei uma corda e uma cadeira e subi as escadas para o sótão da minha casa. Eu amarrei a corda numa madeira no telhado, subi na cadeira e coloquei a outra ponta da corda em volta do meu pescoço. De pé naquela cadeira, tão só e de coração partido, eu estava a ponto de saltar, quando, de repente, o toque da campainha me assustou. Eu pensei:

-'Vou esperar um minuto e quem quer que seja irá embora. '

Eu esperei e esperei, mas a campainha era insistente; depois a pessoa que estava tocando também começou a bater bem forte. Eu pensei:

-'Quem neste mundo pode ser? Ninguém toca a campainha da minha casa ou vem me visitar. '

Eu afrouxei a corda do meu pescoço e segui em direção à porta,
enquanto a campainha soava cada vez mais alta.

Quando eu abri a porta e vi quem era, eu mal pude acreditar, pois na
minha varanda estava o menino mais radiante e angelical que já vi em
minha vida. O seu SORRISO, ah, eu nunca poderia descrevê-lo a vocês! As palavras que saíam da sua boca fizeram com que o meu coração que estava morto há muito tempo SALTASSE PARA A VIDA quando ele exclamou com voz de querubim:,

-'Senhora, eu só vim aqui para dizer QUE JESUS A AMA MUITO. '

Então ele me entregou este folheto que eu agora tenho em minhas mãos.

Conforme aquele anjinho desaparecia no frio e na chuva, eu fechei a
porta e atenciosamente li cada palavra deste folheto.

Então eu subi para o sótão para pegar a minha corda e a cadeira. Eu
não iria precisar mais delas. Vocês vêem - eu agora sou uma FILHA
FELIZ DO REI!!!

Já que o endereço da sua igreja estava no verso deste folheto, eu vim
aqui pessoalmente para dizer OBRIGADO ao anjinho de Deus que no
momento certo livrou a minha alma de uma eternidade no inferno. '

Não havia quem não tivesse lágrimas nos olhos na igreja. E quando gritos de louvor e honra ao REI ecoaram por todo o edifício, o Papai Pastor desceu do púlpito e foi em direção a primeira fila onde o seu anjinho estava sentado. Ele tomou o seu filho nos braços e chorou copiosamente.

Provavelmente nenhuma igreja teve um momento tão glorioso como este e provavelmente este universo nunca viu um pai tão transbordante de amor e honra por causa do seu filho...

Exceto um. Este Pai também permitiu que o Seu Filho viesse a um mundo frio e tenebroso. Ele recebeu o Seu Filho de volta com gozo
indescritível, todo o céu gritou louvores e honra ao Rei, o Pai
assentou o Seu Filho num trono acima de todo principado e potestade e lhe deu um nome que é acima de todo nome.

Bem aventurados são os olhos que vêem esta mensagem. Não deixe que ela se perca, leia-a de novo e passe-a adiante.

Lembre-se: a mensagem de Deus pode fazer a diferença na vida de alguém próximo a você.

Por isso...

- Me perdoe se eu estou perturbando, mas eu só gostaria de dizer que JESUS TE AMA MUITO e eu vim aqui para lhe entregar o meu último folheto.


Nos faz refletir!!!

9 de setembro de 2009

TU ÉS O CRISTO!

Baseado em Mateus 16. 13-20

Confessar algo sempre é muito difícil. Quando cometemos algo de errado sempre nos vem a preocupação “será que eu realmente devo contar o que fiz?”. Ou confessar que está apaixonado por alguém, Nossa! Não há ninguém que não tenha um friozinho na barriga. O texto de Mateus não fala destes exemplos de confissão, mas neste texto está presente a mais bela e sublime forma de confissão existente no mundo: A confissão de fé em Jesus Cristo! Pedro quando diz as palavras “tu és o Cristo o Filho do Deus vivo”, ele expressa a mais grandiosa forma de culto a Deus. Ele confessa a Jesus como o Filho de Deus. O verdadeiro Messias prometido que veio para salvar a humanidade. E nesta confissão feita por Pedro há uma coisa especial - Pedro não faz esta confissão pelo seu próprio raciocínio e pelas suas conclusões humanas. Mas pela revelação do próprio Deus que coloca no seu coração esta gloriosa confissão. Confissão que afirma que Jesus Cristo não é apenas um homem. Não é mais um dos profetas. Mas é o Filho do Deus vivo que veio para salvar toda a humanidade.
Com esta confissão, de que Jesus Cristo é o Senhor, é instituída a igreja cristã na terra. Jesus deixa claro de que todos àqueles que o confessam como Senhor e Salvador constituem a sua igreja sobre a terra, e esta confissão de fé Nele nem a morte pode destruir.
É através desta mesma confissão, de que Jesus Cristo é o nosso Senhor e Salvador, que nós continuamos existindo como Igreja Cristã e como povo de Deus. Sem esta confissão não há igreja, não há povo de Deus.
Hoje toda a nossa vida é uma confissão de fé em Jesus. Esta confissão está presente em vários momentos de nossa vida. Está presente no momento em que Deus através de uma mãe e de um pai ensina seu filho a fazer uma oração. Está presente quando uma família vai ao culto. Esta confissão de fé está presente em todas as horas do dia, no momento em que fazemos nossas orações, no instante que mostramos nosso amor pelo nosso próximo. Quando falamos de Jesus aos nossos amigos, familiares, colegas de trabalho, de escola. Em Cristo tudo o que fazemos passa a ser uma forma de culto a Deus, um testemunho de fé naquele que vem ao nosso encontro, nos acolhe em seus braços e nos salva: Jesus Cristo.

Oração: Bondoso Deus, obrigado por colocares em nossos corações a mais sublime de todas as confissões que nossas bocas podem expressar: A fé em Jesus Cristo. Amém

8 de setembro de 2009

Teatro e missão!

Teatro e missão! Vocês já pararam pra pensar que o teatro pode ser um ótimo meio para fazer missão?
Eu já, e a cada dia me convenço que o teatro é uma ótima ferramenta para se fazer missão.
Primeiramente quero destacar que nós “Vivemos na terra com nenhum outro propósito senão de ser útil aos outros. Se não fosse assim, seria melhor para Deus tirar a nossa vida logo após o batismo, quando começamos a crer. Mas ele permite que vivamos a fim de que levemos outros à fé, fazendo por eles o que Deus tem feito por nós”.[1] Essas são palavras de Martinho Lutero. Nela vemos que nós como cristãos temos um dever e um privilégio: anunciar Jesus Cristo à todas as pessoas que ainda não creem em Cristo. Como podemos fazer isso? De diferentes formas e meios. Um deles é o Teatro!
Acredito que a maioria das pessoas já assistiu a uma peça teatral. Na Igreja Luterana (IELB) certamente todas já usaram o teatro para transmitir a palavra de Deus. Um belo exemplo são as noites de natal, várias igrejas encenam o nascimento de Jesus Cristo, nosso Salvador.
Hoje se formos olhar, iremos constatar que o teatro está bem presente na Igreja Luterana, assim como em todas as igrejas cristãs. O que muitos não sabem é que o Teatro é uma das formas de expressão mais antigas da história da humanidade e que ele sempre existiu na igreja cristã também, desde o tempo dos apóstolos.
“As manifestações dramáticas, como a tragédia e a comédia grega, e da mesma forma as latinas, tiveram origem em rituais religiosos. Em todo mundo antigo o teatro tinha um caráter religioso”.[2] Assim como os gregos e outros povos, os romanos também desenvolveram fortemente o teatro que acabou sendo introduzido na igreja cristã de Roma no séc. I.
Houve um momento na história em que o clero chegou a condenar o teatro pela sua licenciosidade, mas depois reconheceu o valor da linguagem dramática para sensibilizar o coração dos fiéis. Encontraram assim, o melhor meio para os católicos compreenderem os milagres, os mistérios, e as moralidades.[3]
No século IX pequenas peças teatrais, com cenas bíblicas, passaram a ser representadas nas igrejas: eram os mistérios, através dos quais os populares eram convidados a aderirem à fé cristã. Os atores desses mistérios eram os padres, os monges ou mesmo leigos. Este tipo de representação teatral corresponde, hoje, à encenação da Paixão de Cristo, representada em Nova Jerusalém, no estado de Pernambuco.[4]
Assim a forma simples de passar a mensagem usando o teatro deu um novo gás para a igreja. A igreja via que o teatro aproxima as pessoas da mensagem do evangelho.
No séc. XVI o Teatro como forma de missão foi imensamente explorado pelos jesuítas. Eles tinham consciência de que o teatro seria um importante veiculo missionário, porque ele age como nos relata René Miller, “sobre os sentimentos e a vida das pessoas tornando mais acessível a mensagem do evangelho”.[5]
Como visto acima, desde os primeiros séculos o Teatro foi explorado pela igreja cristã para anunciar a mensagem da salvação de Jesus Cristo às pessoas.
Diante disso percebemos que se utiliza o teatro porque ele pode tornar a mensagem acessível, envolver a atenção do público quase por inteiro e cativá-lo. Torná-lo mais aberto para aceitar a forma de pensar que se esteja propondo. Assim o teatro é como uma janela que dá acesso à vida das pessoas, os fatos que as cercam e as emoções, que, lá, podem ser expostas.[6]
Sabemos que proclamar a palavra de Deus e anunciar Jesus como nosso salvador às pessoas é a nossa missão. Missão esta, que vem do próprio Deus que é quem nos capacita para fazê-la. O teatro é uma destas formas de fazer missão, e, através dele muitas pessoas podem ouvir falar de Jesus Cristo. Certa vez um homem disse o seguinte: “Eu acho que ouvi a respeito daquele homem sobre quem vocês falam (Jesus) uma vez em uma peça teatral em Kendall, chamada de peça Corpus Christi, em que havia um homem em um madeiro, e sangue escorria pelo seu rosto”.[7] Através do teatro muitas pessoas, como este homem, podem ouvir falar de Jesus Cristo.
A tarefa está lançada. Há bilhões de pessoas no mundo que ainda não são cristãs. Não há dúvidas que todas as formas de evangelização, (como a música, o rádio, a internet, etc...) são importantes e devem ser usadas. O Teatro é uma destas.
Fazer uso do teatro para a evangelização e missão de Deus é usar os dons que de Deus recebemos. E sem dúvida nenhuma, colocar o teatro a serviço do evangelho de Cristo é usar bem estes dons, e se bem trabalhado, o teatro será com certeza uma ferramenta muito eficaz para a missão de Deus.
Teatro e missão! Eu já parei pra pensar, e constatei “certamente o teatro é um excelente método no que tange à missão. Portanto deve ser usado, assim como a igreja cristã fez ao longo da história, para testemunhar Jesus Cristo a todos os povos”.

Obras Consultadas:


MILLER, René F. Teatro. In. Os Jesuítas - Seus Segredos e Seu Poder. Rio de Janeiro: Ed. Globo, 1946.

MOURA, Carlos Francisco. Teatro a Bordo de Naus Portuguesas nos séculos XV, XVI, XVII e XVIII. Rio de Janeiro: Instituto Luso-Brasileiro de História – Liceu Literário Português, 2000.

SOUTO, Andrea de Roccio. A Dramaturgia e sua Trajetória Milenar; Das Midéias Clássicas à Gota D’água Brasileira. São Leopoldo: UNISINOS, 1998.

SOUZA, Cilene G. Teatro Evangélico. 2 ed. Campinas: JUMOC, 1998.

Teatro medieval. In coleção Universidade livre. Teatro - uma síntese em atos e cenas. Porto alegre, ed. L&PM, 1987.

What Luther Says. St. Louis, Concordia Publishing House, 1986, p. 961.


_______________________________________
[1] Comentário de Lutero ao texto de 1 Pe 1. 3. In: What Luther Says. St. Louis, Concordia Publishing House, 1986, p. 961.
[2] SOUTO, Andrea de Roccio. A Dramaturgia e sua Trajetória Milenar; Das Midéias Clássicas à Gota D’água Brasileira. São Leopoldo: UNISINOS, 1998. p. 13.
[3] Teatro medieval. In coleção Universidade livre. Teatro - uma síntese em atos e cenas. Porto alegre, ed. L&PM, 1987, p. 23.
[4] SOUTO, Andrea de Roccio. A Dramaturgia e sua Trajetória Milenar; Das Midéias Clássicas à Gota D’água Brasileira. São Leopoldo: UNISINOS, 1998. p.32.
[5] MILLER, René F. Teatro. In. Os Jesuítas - Seus Segredos e Seu Poder. Rio de Janeiro: Ed. Globo, 1946. p.449.
[6] SOUZA, Cilene G. Teatro Evangélico. 2 ed. Campinas: JUMOC, 1998. p 33.
[7] HUBER, Robert V., MILLER, Stephen M. A Bíblia e Sua História – O Surgimento e o impacto da Bíblia. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), 2006, p. 141.

Ser Dependente!


Ser Independente é algo que todos almejam. Todas as pessoas querem ser independentes, livres e autônomas. Mas na verdade todos são Dependentes!
Esta semana o Brasil está em festa. Comemorou-se na última segunda-feira a Independência do Brasil. No entanto, aqui o objetivo não é abordar e nem falar sobre “Independência”, porém sobre dependência, no “Ser Dependente.”
Sim, Ser Dependente! Um país não consegue ser independente do resto do mundo. Precisa dos demais. Este ano acompanhamos bem isso com a crise financeira, um país sofreu, todos sofreram, um depende do outro para a economia girar...
Assim se dá com uma empresa, ela nunca é independente de sua rede de fornecedores e consumidores. Um partido político Depende de seus filiados. Um líder Depende de pessoas para liderar. Um time de futebol Depende de torcedores.
E assim nós somos Dependentes. Dependemos de nosso trabalho e de nosso dinheiro para pagar contas. Dependemos de nossos governantes para administrar nosso país. Dependemos da família e de amigos para nos ouvir, nos abraçar, fazer companhia.
“Independente” é uma palavra que pode até fazer parte do vocabulário, ter seu significado e dizer muitas coisas, mas ninguém consegue ser totalmente Independente. Não há como ser diferente. Somos Dependentes, desde que nascemos até o momento de morrer.
“Dependência”, certamente faz parte de nossas vidas. E ser dependente pode ser bom ou ruim! Se a minha dependência estiver ligada a: Problemas do passado, mágoas do presente, dinheiro, poder, posição social, aparência, sexo, jogo, vícios, e erros, certamente há de ser muito ruim. Mas, se formos Dependentes de um abraço de pai, de um beijo de mãe, da companhia de amigos e de Deus, certamente esta “Dependência” valerá muito mais do que a “Independência”.
A minha salvação e a minha honra dependem de Deus; Ele é a minha rocha poderosa e o meu abrigo. Assim exprime o salmista no Salmo 62.7, onde é lembrando que nós somos totalmente dependentes daquele que alimenta nossa vida, sustenta nosso corpo, fortalece o nosso ser e dá rumo para nossos passos: Deus. A Dependência de Deus é certeza de vida segura, constante e com propósito. Pela fé somos ligados a Cristo e, a partir daí, as demais dependências de nossa vida ganham nova perspectiva. Pois, “todas as coisas dependem não do que as pessoas querem ou fazem, mas somente da misericórdia de Deus” (Rm 9.16).




Baseado na Devoção "Dependência" do Rev. Lucas Albrecht!!

Teatro e Comunicação!


“Quem não se comunica se trumbica.” Já dizia Chacrinha! Trumbicar é Dar-se mal; entrar pelo cano. Daí a importância de uma boa comunicação, aliás, como a própria palavra já diz é uma “Comum+Ação”. Na igreja é essencial uma boa comunicação também. É pela boa comunicação que nós testemunhamos e recebemos o evangelho. Diante disso é válido sublinhar o que Viggo Sagaard escreve: “A palavra comunicação envolve não apenas o discurso oral e escrito, mas também música, a arte pictural, o teatro, e de fato todo comportamento humano”.
Aqui neste artigo quero apontar que por meio do teatro a comunicação pode ser muito eficaz, e que, Teatro e Comunicação têm tudo a ver. Falar do nascimento de Jesus Cristo através de uma peça teatral pode ser muito mais cativante do que ler um texto, ou ouvir uma pregação a exemplo.
Uma peça teatral pode mexer com todos os sentidos do corpo como escreve Cilene Guedes: “No teatro a proximidade com o público possibilita muitas coisas. De acordo com a peça, o expectador pode colocar, além da visão e da audição, o olfato, o tato e até o paladar, funcionando em conjunto, para perceber o que acontece em cena. E quem não sabe que nossos cinco sentidos são responsáveis pela percepção do mundo exterior? Com o teatro é possível abraçar praticamente toda a capacidade perceptiva do público. Assim há uma ótima comunicação, onde o remetente e receptor se entendem.
Outro fator é que “A atenção da mente humana nunca permanece fixada sobre um único ponto”. Numa peça teatral há elementos que fazem com que as pessoas prestem mais atenção e retenham mais a mensagem que se quer passar. Tomemos como exemplo novamente uma representação teatral, nesta há vários elementos que chamam a atenção das pessoas, pois além dos atores que representam, há também: Figurino, cenário, luz, diálogos e uma série de cenas. Comparando com uma pregação, onde há apenas uma pessoa falando, usando o mesmo espaço físico, o mesmo figurino, é evidente que a atenção das pessoas vai se prender mais à peça teatral, pois envolve mais o ouvinte à mensagem, graças a todos os meios utilizados pelo teatro. Deixando claro, porém, que pode e há exceções.
Numa boa comunicação e num bom teatro dois fatores devem ser considerados. Em primeiro lugar nossa mensagem deve ser transmitida em termos significativos e atraentes para a cultura receptora. Em segundo lugar, ela deve esforçar-se para tornar evidente que somos mensageiros de Cristo e que, na mensagem cristã, falamos o que deve ser ouvido, compreendido e acolhido por todas as criaturas.
A mensagem comunicada só fará sentido aos ouvidos dos ouvintes se estes estão entendendo o que se quer passar. Daí a importância de apresentar algo relevante à cultura, sempre ressaltando que deve estar fundamentada na mensagem cristã, com uma correta hermenêutica e correta aplicação de lei e evangelho.
Para encerrar destaco um exemplo de comunicação: “Uma série de grupos nos países asiáticos, como a Índia, Tailândia, e Indonésia, têm demonstrado a viabilidade do uso de formas tradicionais de dança e teatro na evangelização. Se tais ministérios estão bem integrados com as igrejas locais, o impacto é enorme enquanto o evangelho é expresso nas formas culturais locais e símbolos de comunicação, como o teatro.”
O teatro, portanto é uma eficaz forma de comunicação, pense nisso!

Obras Consultadas:

SOGAARD, Viggo. Media in Church and Mission Communicating the Gospel. Pesadena, California: Willian Carey Library, 1993.

VICEDOM, Georg F. A missão como obra de Deus: introdução a uma teologia da missão. Trad. Ilson Kayser. São Leopoldo: Sinodal, 1996. p. 15.

HESSELGRAVE, David J. A comunicação Transcultural do Evangelho. Vol. 1. Comunicação, Missões e Cultura. Tradução de Márcio Loureiro Redondo. São Paulo: Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, 1994



* Bacharel em Teologia pela ULBRA, e Estagiário de Teologia pela Igreja Evangélica Luterana do Brasil - IELB e Seminário concórdia. Atualmente está fazendo o estágio prático em Nossa Senhora do Socorro, Sergipe. msseling@yahoo.com.br

Criar e Atuar!

Criar e atuar!

Criar, como o próprio nome diz é dar origem a; gerar; formar; produzir; inventar e imaginar.
Atuar, é agir! Fazer!
Criar e atuar são dois verbos fundamentais a ser observado para quem faz teatro.
Muitas vezes quando fazemos teatro achamos que a única coisa que precisamos é atuar. Esquecemos de Criar. Quando colocamos apenas o atuar e esquecemos o criar podemos não dar importância ao conjunto do teatro.
Eu estou falando aqui de teatro evangélico, ou teatro cristão. A minha preocupação está justamente no conteúdo que uma peça teatral tem. Quando falamos em teatro evangélico, “o bonito, o legal, o emocionante e o impactante não é suficiente”, precisamos de “CONTEÚDO”. E conteúdo é o que muitas vezes falta em nossos teatros. Conteúdo, aqui se lê: conteúdo bíblico e que vá de acordo com o que a bíblia revela.
Antes de escrever este artigo dei uma “pesquisada na net”. Se você for ao Google e digitar “teatro evangélico” certamente encontrarás muitos sites e blogs que divulgam o teatro e disponibilizam peças de teatro para igrejas. Mas será que essas peças tem conteúdo teológico adequado ao que a Palavra de Deus ensina? – Infelizmente muitas não.
Muitas peças são escritas por ideologias doutrinárias. As peças têm o conteúdo doutrinário de uma denominação religiosa, sufocando a verdade bíblia e às vezes até escondendo.
Não estou generalizando, apenas alertando. No meio gospel onde músicas e peças de teatro circulam livremente e são apreciadas por muita gente, temos que reter o que é bom e útil. Ser crítico é a palavra chave, para avaliar e aproveitar o que serve e vai de acordo com a palavra de Deus.
Certa vez participei de uma noite cultural, onde juventudes apresentavam peças para concorrer qual era a melhor. Todos os teatros eram de grupos de jovens da igreja luterana. Mas numa peça eis que surge a doutrina do arrebatamento (Doutrina pagã, segundo algumas igrejas o Arrebatamento é “aquele momento quando o Senhor Jesus virá para arrancar a sua igreja do caos deste mundo”. O arrebatamento ensina que Jesus virá e arrebatará os crentes antes de julgar o mundo, antes da grande tribulação. Nós cremos no que a bíblia diz: que Jesus virá e julgará a todos no mesmo instante, e assim os que morreram e creram em Jesus serão ressuscitados e, aqueles que estiverem vivos e que creem em Jesus serão levados por Jesus até o céu e assim viver com Cristo eternamente, como diz Paulo em 1 Tessalonicenses 4. 16-17.). A peça era legal, criativa e impactante. Mas o conteúdo, infelizmente pregava uma doutrina errônea e contrária à palavra de Deus.
Certamente peça como esta, foi copiada da internet entre muitas que lá tem. Os jovens preocuparam-se apenas em ATUAR, esqueceram do CRIAR, ou pelo menos ADAPTAR.
Nós como cristãos somos convidados a testemunhar, falar de Jesus as outras pessoas, ensinar a verdade. Assim tudo que fazemos deve ter como objetivo engrandecer o nome de Deus, mostrar Jesus como salvador do pecador. Podemos fazer tudo isso através do teatro. Mas vamos nos policiar e fazer teatro evangélico/cristão de acordo com a palavra de Deus.
Em todas as nossas peças teatrais Jesus Cristo deve estar no centro, assim como faz a bíblia: O Centro é Jesus Cristo.
Se conseguirmos observar este ponto, colocar Cristo no centro de nossas peças teatrais, seja ela de cunho social ou evangelístico, certamente nós seremos espelhos do amor de Deus às pessoas.
Se nós somos bons no atuar, mas não sabemos criar, vamos pelo menos Adaptar. Vamos ver se a mensagem é a adequada e que vai de encontro com a verdade bíblica.
Abaixo segue algumas dicas para se fazer teatro evangélico. Para Atuar e Criar:

1. Não tenha medo;
2. Não fique envergonhado;
3. Não fique com receio de amarelar, errar;
4. Apenas se preocupe em fazer o melhor para Deus e que a verdade de sua palavra seja anunciada;
5. Se solte (sem exageros);
6. Tente ficar calmo (pode ser por meio de exercícios);
7. Tente ficar na situação de seu personagem, bola pra frente;
8. Nunca fique de costa para o público, exceto em cenas que exijam;
9. Fale alto e em bom som, observe sua dicção;10. Nunca fale olhando para baixo, nunca fale rapidamente, observe o ritmo adequado;
11. Tente ser o mais natural possível em suas interpretações;
12. Quando pegar algum roteiro, se for diferente da realidade do local em que será apresentado, tente modificar, fazer alguns ajustes aqui, alí, até que encaixe. Isso vale também para a mensagem. Se tiver frases que não se encaixam com a palavra de Deus, modifique-as, adapte.

Assim você pode Criar, Atuar, e através do teatro ser testemunha do amor de Deus e da salvação que há para quem crê em Jesus Cristo.

Abraços!
Marlus Seling!

Atividades de Estágio!!!

Minha Isntalação no dia 08 de fevereiro!