10 de novembro de 2010

“A esperança dos justos é alegria”. (Provérbios 10.28)

Martinho Lutero
Cf. Castelo Forte 10 Novembro 1983 = 500 anos de Lutero

Se, nesse entretempo, o mundo nos impõe toda sorte de tormento e tristeza, e nos brinda com uma bebida amarga, para não falar das outras coisas, como acidentes, doenças, peste, tempos difíceis, guerras que nos assolam diariamente e machucam o corpo ou o homem exterior, temos de suportar tudo isso, morder na maçã azeda e provar a bebida amarga. Assim, o doce que vem depois, será tanto mais gostoso, e isso fará com que esperamos com muitos mais ansiedade por aquele dia. Não fosse assim, continuaríamos vivendo daquele jeito: frios e insensíveis, e, a exemplo do mundo seguro de si mesmo e obstinado, acabaríamos não mais nos dando conta de nossa miséria, faríamos pouco caso da palavra de Deus e teríamos de ser condenados juntamente com os ímpios.
Mas, agora, Deus concede a graça de nos cansar e deixar fartos da vida, e nos consola com uma vida melhor, a saber: em breve, ele virá sobre as nuvens, com grande poder e glória, levando-nos desta miséria para junto de si, em eterna alegria, de sorte que, no que diz respeito a nós, nada melhor ou mais desejável poderia acontecer. Mas, para os ímpios, aquela não será, de maneira nenhuma, uma cena feliz.




 

5 de novembro de 2010

Não tenha medo!

Medo! Quem de nós não tem medo! Há quem tenha medo do escuro, outros de altura, outros de algum tipo de animal, como cobra ou até mesmo de uma barata. Há quem tenha medo de assaltos, da violência. Se pararmos para contar todos os nossos medos vamos perceber que temos medo de muitas coisas...
Hoje em diversos países e até lugares de nosso Brasil há circunstancias que podem fazer com que nós cristãos fiquemos inseguros, receosos e até com medo de testemunhar Jesus Cristo como salvador.
Talvez seja diante destas realidades que Paulo escreve ao jovem pastor Timóteo. Paulo encoraja a Timóteo dizendo: “Pregue a mensagem e insista em anunciá-la, seja no tempo certo ou não. Procure convencer, repreenda, anime e ensine com toda paciência.” (2Tm 4.2)
Quando Paulo escreveu esta segunda carta a Timóteo, ele estava preso. Ele sabia que sua morte estava chegando, como vemos: “Quanto a mim, a hora já chegou, e já é tempo de deixar esta vida. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. E agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda”.
Que palavras bem escolhidas para encorajar o jovem Timóteo e a cada um de nós. Mesmo diante da sentença de morte, Paulo estava seguro nos braços de Jesus. Ele sabia que Jesus sempre estava ao lado dele. Paulo sabia que foi Jesus quem lhe deu forças para pregar o evangelho. Agora a finitude de sua vida estava chegando, mas sua esperança e segurança permaneciam firmadas em Jesus Cristo.
A cada um de nós cabem estas palavras de Paulo ditas ao jovem pastor Timóteo. Coragem! Cristo está ao nosso lado. Testemunhemos a boa nova da salvação às pessoas. Diante do medo, da insegurança de falar de Jesus às pessoas, nós temos palavras do próprio Jesus que diz:
                                “Não tenha medo, eu estou com vocês”. Amém!.

Enraizados em Cristo!


“Estejam enraizados em Cristo, construam sua vida sobre ele e se tornem mais fortes na fé, como foi ensinado a vocês e deem sempre graças a Deus.” (Colossenses 2. 7)
Estejam enraizados em Cristo! Quando observamos esta frase que o apóstolo Paulo escreveu aos Colossenses, logo nos vem à mente “raízes de árvores e de outras plantas”. Uma árvore ou outra planta precisa ter raízes fortes e profundas para se sustentar. Porém se vem um vendaval ou temporal muito forte até uma árvore grande pode vir a cair...
O ser humano precisa enraizar-se também. Precisa de um fundamento seguro, caso contrário pode vir a cair e morrer. Diante disso Paulo nos fala “Estejam enraizados em Cristo”. Uma vez enraizados em Cristo estamos seguros e muito bem firmados, sãos e salvos. E, por mais que diariamente soframos com os temporais, e vendavais que veem por meio de: doenças, sofrimentos, dificuldades, problemas, perda de pessoas que tanto amamos, falta de dinheiro, desemprego... Uma coisa nós podemos ter certeza: Cristo está ao nosso lado! Se nós estamos enraizados em Cristo, nós estamos bem estruturados. Nenhum problema pode nos derrubar. Nenhuma dificuldade pode nos afastar do amor de Deus, da paz que encontramos em Cristo. Em Cristo somos mais que vencedores. Em Cristo já somos herdeiros do céu.

No nosso batismo, todos nós fomos enraizados em Cristo. E agora quando Paulo nos fala “Estejam enraizados em Cristo” nós somos convidados a viver o batismo e a “andar nele”. Esse andar sempre implica arrependimento e novo começo, nova chance, nova esperança, novo servir, novo agradecer.

Querido amigo e querida amiga quando o caminho parecer obscuro, a direção confusa, o futuro ambíguo, se lembre do seu batismo, se lembre que você está enraizado em Cristo. Estar enraizado em Cristo é estar sempre sustentado por Ele, nenhum vento ou tempestade pode nos derrubar. Árvores com fortes raízes podem cair, mas todo àquele que está enraizado em Cristo jamais cairá.

Quando estamos em Cristo, “o que é de Cristo torna-se nosso" (Martinho Lutero). A vida eterna e a salvação tornam-se nossa por nós estarmos enraizados em Cristo. Amém.

1 de julho de 2010

O pequeno Príncipe

Durante esta semana reli um dos livros que mais marcaram em minha vida: O pequeno príncipe. A forma de se ver o mundo, de ver as pessoas e de se enxergar a si próprio é um dos grandes enfoques do livro. Por acaso descobri um ótimo texto que fala sobre este livro, e repasso a vocês.


No livro “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry, há uma definição sobre cativar. Aliás, é uma das frases mais lembradas no meio educacional e de relacionamento: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. Em meio ao diálogo entre a raposa e o Principezinho, temos duas passagens marcantes: ''Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti...'' e '' O essencial é invisível para os olhos'”. Esta última frase foi o grande segredo revelado pela raposa ao príncipe.
O essencial é invisível aos olhos. Esta será uma verdade no mundo em que vivemos? Especialmente quando vemos que sucesso, status, dinheiro, poder, imagem são as verdades e razão de ser de muitos, que os motiva e cativa. E todas elas são visíveis aos olhos, inclusive aos nossos. Analisando apenas por neste foco, podemos ver que o pensamento inicial do livro está sendo seguido à risca: te tornas responsável por aquilo que cativas.

Mas que bom que esta não é a única forma de interpretar esta citação.

Deus nos cativa de forma diferente. Para Ele o essencial continua de fato sendo invisível aos olhos, mas toca o nosso coração. Seu amor revelado em Cristo Jesus nos cativa desde o nosso nascimento, nos acompanha durante nossa vida e não termina aqui. Este amor que é essencial e invisível prepara-nos para a vida que segue além. Deus quer ser único em nossa vida, para nos cativar e amar diariamente. Nós, pela fé, podemos nos aproximar dEle, amando-o de coração, alma e entendimento e ao próximo,. Assim como a raposa e o príncipe.
Quando Jesus esteve presente em nosso meio, nos revelou que nos ama, jamais nos deixará sozinhos. Ele é único para nós e nós somos únicos para Ele. Jesus tornou-se eternamente responsável quando optou por dar sua vida em favor da nossa. Mas Ele mudou o foco. Cativou nossos corações e quer que cativemos aqueles que amamos.



Texto do Rev. Elton Fischer
Capelão do Colégio Ulbra Cristo Redentor
Canoas, RS
pastoral.ccr@ulbra.br

28 de maio de 2010

Teatro na escola bíblica - Contando Histórias!

Trabalhar com crianças é fantástico. É claro que envolve muita responsabilidade, cuidado e muita criatividade para prender a atenção dos baixinhos, principalmente na hora de contar Histórias da Bíblia.

Na psicologia é sabido que a personalidade de uma criança se desenvolve até os 5 anos de idade. Portanto se conseguirmos colocar raízes cristãs nesta criança, faremos um grande bem a ela. Por isso a importância de ensinar a Palavra de Deus ás crianças. Um local muito propício certamente é na Escola Bíblica infantil.

Hoje na igreja cristã muito tem se falado que uma das estratégias mais significativas para o evangelismo é o trabalho missionário com crianças. A igreja luterana vem trabalhando neste sentido. Hoje muitas escolas bíblicas tem como foco a missão. Levar o evangelho de Jesus Cristo a todos, também ás crianças.

Acredito que caminhamos corretamente e podemos ensinar a Palavra de Deus não somente ás crianças da congregação, mas ás crianças do bairro, da cidade. O grande desafio é em transmitir a Palavra de Deus de uma forma que as crianças entendam e guardem em seus corações as histórias maravilhosas que encontramos relatadas na Bíblia, cuja principal é a boa nova do evangelho “que Jesus é o nosso Salvador”.

É neste contexto que quero falar que o teatro é uma excelente forma de atrair a atenção das crianças. Crianças gostam de coisas novas. Gostam de novidades. Qualquer pessoa que já foi professor (a) de Escola bíblica sabe do que estou falando. Se você chegar e ler uma historinha, sem ação, as crianças não prestam atenção. É preciso contar com ação, trazer figuras, objetos, envolver a atenção da criança, para que a Palavra de Deus seja assimilada.

Uma das formas muito interessantes de se contar Histórias Bíblicas é através do teatro. Colocar a criança como personagem. Elas adoram. A história acaba sendo uma brincadeira e certamente elas compreendem melhor.

Tomemos como exemplo a passagem em que Jesus escolhe os 12 apóstolos (Mc 3. 13-19). A professora ou professor pode representar Jesus e ir chamando cada criança como se fosse um apóstolo, fazendo com que a criança se apresente “Eu sou Pedro; eu sou João... e assim por diante.” A criança vivência a cena, e a história faz sentido a ela.

Usar o teatro na escola bíblica para contar uma história bíblica é ser criativo e atrativo para as crianças.

Escrito por Marlus Seling, 2010.

26 de maio de 2010

Deixo com vocês a Paz! (João 14. 23-31)

Ao longo do capítulo 14 de João nós vemos que Jesus está preparando os discípulos para a sua partida. Para o Seu retorno ao céu. Jesus anuncia que está deixando este mundo. Os discípulos irão ficar aqui! Iriam sofrer tribulações. Iriam passar por perseguições, mas Jesus consola: Eu não vou abandonar vocês. Não tenham medo. Eu deixo com vocês a minha Paz, é a minha paz que eu dou!

Jesus neste texto nos promete a sua paz. E como nós precisamos de paz, podemos pensar. Se olharmos em nossa volta nós veremos o quanto o mundo precisa de paz. E com o passar do tempo parece que esta paz nunca chega. Cidades estão cada vez mais violentas. A cada dia escutamos notícias que falam de violência, brigas, morte. E, diante de fatos como estes, fica a pergunta cadê a Paz que Cristo prometeu?

Realmente se formos avaliar o conceito de paz que o mundo emprega, não acharemos resposta. Porém esta Paz que Jesus fala é diferente da que o mundo dá. Pois, o mundo nos promete uma paz de consciência que ignora e esconde o pecado... O mundo promete uma paz que visa um sucesso econômico... O mundo promete paz, mas impõe a força, faz guerras para consegui-la... O mundo vê uma paz com limitações humanas... Faz campanhas sobre ela, mas esquece de olhar para o Doador da Paz: Jesus Cristo. E o mundo fica somente nisso. Com sua Paz sempre distante...

O mundo e nós lutamos por paz, queremos com todas as forças acabar com as guerras, acabar com a violência. Queremos assistir um programa de TV, e ler um jornal sem ver notícias que falam de assassinatos, violência, guerras, terremotos, furacões. Mas é justamente diante disso que Jesus falou: Eu deixo com vocês a minha paz. Vocês vão passar por estas angústias, vão ficar se perguntando “Por que meu Deus... permites tantas atrocidades? Por que permites tantas coisas ruins?”.

Se nós olharmos para a Bíblia veremos que esta “falta de paz” são sinais do Juízo de Deus ao mundo. Deus revela ao mundo que fora de Cristo não há como ter paz, é uma luta perdida. Aí é preciso lembrar-se do que Cristo nos ensina: um dia isto vai acabar! Eu vou vir novamente e vou receber cada um de vocês na casa de Meu Pai. Esta paz que Jesus nos promete e que Ele nos dá é uma paz de consciência plena! Mesmo diante de todas as notícias ruins que ocorrem. Que nos angustiam. Que fazem com que soframos. Nós temos a certeza de que Ele não nos abandonou, e continua conosco nos consolando e deixando a Sua paz em nossos corações. Jesus nunca disse que nós não sofreríamos. Mas prometeu que sempre estaria unido conosco e por nós estarmos unidos com Ele, nós teríamos a Sua paz. “No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo” diz Jesus em João 16. 33.

É em meio aos problemas, ás dificuldades, ao sofrimento, á violência, á solidão, ás dúvidas, ás incertezas que Jesus diz, Eu deixo com vocês a minha Paz.

Certa vez na Inglaterra, no séc. XII, um rei convidou os artistas de seu reino para fazerem um desenho que melhor representasse a Paz. O ganhador como prêmio ganharia o privilégio de escolher um lugar para morar, e ainda ganhar o dinheiro para o resto de sua vida.

Os melhores artistas da época fizeram quadros magníficos, todos os pintores procuravam retratar, paisagens belas, do tipo, pôr do sol, um dia com um belíssimo céu azul, praias com um mar calmo. O rei vendo estes quadros se admirou, pois todos o encantavam, mas para a surpresa de muitos o ganhador foi um quadro que retratava uma montanha alta, em meio a uma tempestade... Depois que o rei escolheu este quadro como o grande campeão, os seus súditos lhe questionaram. Mas por que o senhor escolheu este quadro? O objetivo não era escolher um quadro que retratasse a paz?

O rei intrigado com as perguntas respondeu, foi o que fiz. Vocês não olharam o que o quadro retratava? O rei continuou a explicar, é o seguinte todos os quadros representavam idéias de como é a paz que nós enxergamos, mas este me chamou a atenção pelo detalhe, no alto do monte em meio a raios, trovoadas, e grande precipício havia um ninho de um pássaro, neste observei que a águia protegia seu filhote em meio a tempestade.

Este é o melhor exemplo de paz, sabemos que a realidade não é como imaginamos, e como os quadros bonitos representam. Nós vivemos em meio a trovoadas, e tempestades, mas podemos contar com nossa família e amigos que nos acolhem, nos ouvem e dispensam o seu cuidado e carinho por nós. E acima de tudo podemos contar com Deus, que nos dá a paz que precisamos. Podemos contar com o amor de Jesus que diz quem em todos os momentos está ao nosso lado. Podemos contar com o Espírito Santo que nos dá a certeza de que Jesus jamais nos abandonou. Hoje Jesus continua nos dando a sua paz, muitas vezes não a enxergamos, mas a fé criada e mantida pelo Espírito Santo colocada em nossos corações nos traz uma certeza: “Um dia nós viveremos no céu, sem tristezas, dores e lágrimas, viveremos eternamente em Paz com Cristo! E mesmo hoje, nós temos as palavras de Jesus: Deixo com vocês a minha Paz!!!”

Hoje (23/05/10) a igreja cristã lembra o dia de Pentecostes. O dia em que Deus enviou o Espírito Santo sobre a terra, para dar entendimento ao mundo de que Cristo é o Salvador e doador da Paz. No nosso batismo recebemos o Espírito Santo, que criou a fé em nós. E é o mesmo Espírito Santo que continua a manter a fé em nossos corações, fazendo com que sempre olhemos para a Cruz de Cristo, para que a cada dia nossas forças se renovem. Para que a cada momento de nossa vida nós lembremos que não estamos sozinhos. Para que continuemos a realizar as obras que Cristo nos ensinou e nos convidou a fazer: Que é guardar a Sua palavra! Mostrar o seu perdão as pessoas, Mostrar que Jesus tem compaixão do mundo. Mas também anunciar a palavra de juízo, prevenindo as pessoas de que fora de Cristo não há Paz, Não há salvação. Somente pela fé em Jesus podemos enxergar a Paz que Cristo nos dá!

A Paz de Jesus é o que faz a diferença em nossa vida. É o detalhe de um quadro que por vezes parece não ter nada de especial, mas que pode chamar a atenção por um rabisco que envolve amor, proteção e Paz. Esta paz é a segurança e a confiança que Cristo está ao nosso lado, e como diz Paulo em Romanos nada pode nos afastar do amor de Cristo, da Paz que Cristo nos dá. Não são as dores e as doenças, porque Cristo sofre junto com o cristão. Não é a violência e os problemas, porque Cristo nos protege como o Bom Pastor que cuida de suas ovelhas. E não é nem a morte, porque Cristo é vencedor sobre a morte, e assim dá a vida verdadeira a todos os seus.

Jesus nos dá a verdadeira Paz: Uma paz que nos dá o perdão, vida e Salvação. Jesus acolhe a cada um de nós. Diariamente. Em meio aos nossos problemas, dificuldades e angústias, nos dando a paz que ninguém, a não ser Ele tem a nos dar: a certeza de que Ele nos ama e não nos abandonou. Lembremos: Ele deixou a Sua Paz conosco. Ele prometeu jamais nos abandonar. Por isso não precisamos ter medo. A Paz de Jesus nos envolve, hoje e sempre. Amém.

Marlus Seling.
Niterói, Canoas. 2010



11 de janeiro de 2010

Vídeos Marlus em Sergipe!!!

Abaixo segue dois vídeos que fiz dos vários momentos que tive em Sergipe...
Aos amigos e membros da Congregação Evangélica Luterana Sal da Terra e Luz do Mundo um forte e carinhoso Abraço!!!